15

Mea Culpa

Posted by Luana on 13:52 in ,
Estou pra escrever esse texto ja faz tempo... 

Eu devo desculpas.. Devo desculpas a uma pessoa que me mandou um email anonimamente ha alguns anos. Nesse e-mail a pessoa pedia que eu escrevesse mais sobre ser negra no meio da ciencia... E sabe o que eu fiz? Fiz um post bem babaca falando que essa coisa de racismo eh coisa do passado, que eu nao tinha passado por isso... Que tudo que eu sou hoje eh fruto do meu trabalho arduo coisa e tal.. Eu ate postei aquele fatidico video do Morgan Freeman falando pras pessoas pararem de falar sobre o racismo... 

Eu ainda gosto daquele video, mas entendo que ele nao tem NADA a ver com a realidade no Brasil.. Eu nao entendia isso naquela epoca... Mas ainda bem que existe a internet e todas as coisas maravilhosas que ela proporciona... 

Eu mudei.. Minha visao de mundo mudou... Quero que tenha sido pra (muito) melhor...

Eu comeco esse post com outro video... Com o relato da Tais Araujo... Que eh EXATAMENTE a minha historia... Menina negra criada na classe media-alta.... 


 A Tais fala: "a minha atitude era de enfrentar de peito aberto"

A minha tambem! Sabe por que? Porque a minha realidade nao era de uma menina nascida na periferia, vivenciando a violencia e racismo do dia a dia, com a policia ou com o resto da sociedade... Eu cresci no meio de gente com recursos, com dinheiro... Ali o racismo vive de outra forma... 

O meu pai (negro) tinha muita influencia dos movimentos negros nos EUA. Ele jogava basquete e viajava muito, foi aos EUA diversas vezes, tinha mutios amigos de la (negros). Ele colecionava discos de vinil e em cada viagem trazia coisas novas... Muito rock-de-branco e muito soul-de-negro... James Brown berrava na minha casa: "I'm black and I'm proud!!" e a gente berrava junto... Era essa a minha vivencia em casa... Se eu sofresse racismo, era pra lutar de peito aberto...

Mas meu pai e o James Brown estavam se referindo a outro tipo de racismo... O racimso que eh facil de identificar.. Aquele que impedia negros de estudarem, ou de entrarem em certos restaurantes e sentarem em bancos de onibus... Era legalizado, passado a limpo, esfregado na cara de cada pessoa... Esses mesmos diretios tambem sempre foram negados aos negros brasileiros, mas de uma forma tao, mas tao mais sutil que acabamos por nos convencer que existia racismo nos EUA, mas no Brasil, nao...

Fora isso, eu nao tiva quase contato com a familia do meu pai... A familia de negros... Por motivos que talvez eu nunca va saber ao certo, meu pai se afastou da familia dele... Entao, em casa eu tinha a figura negra do meu pai e as trocentas figuras brancas-loiras da familia da minha mae... 

E por mais que eu ouvisse James Brown e as coisas da Motown, eu hoje tenho total consciencia de que fui criada como branca... Comportamento, cultura, costumes... Tudo de branco.. De brancos italianos, que eh o que compoe 100% a familia da minha mae... Sempre consumi cultura negra norte-americana, mas como qualquer pessoa de classe media a consume... Intelectualmente.

Agora, deixem-me dizer, eu nao estou aqui culpando minha familia por ter me criado como branca... Eles fizeram o que achavam que tinham que fazer... Eles nao sabiam (e imagino que ainda nao sabem) o que eh passar por racismo... Nao sabem se colocar no lugar do negro... Como aquele pai que vestiu o filho de macaquinho do Aladin no carnaval... Ele nao sabe o peso associado a isso! Nao da pra atirar pedras como foram atiradas, mas tambem nao da pra passar a mao na cabeca dele e dizer: "o racismo nao existe... Voce ta certo"

Sabe qual a minha reacao quando eu vi a foto? Eu achei fofo! Eu nao vi a foto com a tarja cobrindo o rosto do garoto, eu vi a foto original... Com os pais fantasiados e o menino feliz da vida carregado pelo pai.. Eu achei fofo! Eh a minha criacao como branca... Aos meus olhos nao havia nada de errado ali....

Eu li cada argumento contra e a favor... E tenho que concordar.. Pegou muito mal! Foi intencao dos pais? LOGICO  que nao! Eles sao racistas? Nao, acredito que nao, embora o ato em si tenha sim um racismo velado... 

Entao, como li numa carta aberta direcionada ao pai, eh hora do pai branco se colocar no lugar do filho negro e entender que ele passara por coisas que o pai jamais passou.. Eh um aprendizado pra todo mundo.. E eu fico muito feliz que a gente esteja comecando a falar sobre isso... Eu disse FALAR sobre isso, nao ir no perfil do cara xinga-lo... 

Eu sempre disse que quase nao tinha sofrido racismo na minha vida...

Mentira! A cada dia que passa, a cada nova percepcao do que eu sou - NEGRA - eu entendo que sim, passei e ainda passo MUITAS vezes por racismos... Eles sao tao sutis, tao maquiados, que voce se pega pensando: "sera que essa grosseria foi por racismo? Sera que essa porta fechada foi por racismo?"

Estava contando hoje no almoco pra uma amiga... Contei do video da Tais Araujo e de como ela conta que nunca havia namorado na escola, ou onde ela morava e que isso era natural pra ela... Era natural pra mim tambem... Nao ser a linda, nao ser a desejada por ninguem, nao ser nem convidada pra ser par na festa junina... Isso mesmo quando eu era amigona dos meninos... Por que sera?

Lembrei tambem de certa vez, na minha escola "ultra-moderna" - que a cada dia eu vejo como era elitista e preconceituosa - tinhamos que encenar uma peca de teatro e o tema era sobre uma cegonha que se revoltava com a familia e queria se libertar da obrigacao de virar cegonha-que-leva-bebes... Era uma historia de superacao e libertacao, entao, por esse motivo eu sai do meu casulo e resolvi participar..

Os alunos podiam se inscrever para os papeis.. Haviam muitos! E o da personagem principal, a da cegonha contestadora, ninguem queria... Dai eu me candidatei...

Sabem o que a minha "tia" me falou? Que as pessoas iam ficar confusas de me verem como cegonha, porque cegonhas tem as peninhas branquinhas... As pessoas iam pensar o que? Que a cegonha tinha bebido muito cafe? (professora rindo muito da piada engracadelha que tinha acabado de contar).

Sabe como eu reagi? Eu achei normal... Fazia sentido! Eu me calei e segui a minha vida... 

Branco pode fazer "black face", tem o Zwarte Piet aqui na Belgica/Holanda... Mas naonde que negro pode fazer papel de branco? Nem de cegonha branca pode! 

E foi numa vida dessas, cheias de pequenos racismos enraizados nas frases e nas atitudes que eu cresci... Achando que tudo que acontecia comigo era fruto do meu esforco e trabalho... Quando na verdade eu sempre tive que lutar contra um monstro muito pior, muito mais perigoso do que eu imaginava...

Eu sinto muito, pessoa no e-mail, por nao ter entendido o seu pedido anos atras. Eu sinto muito por ter feito chacota dele e ter escrito aquele post... Eu ia colocar o link do post aqui, mas ao reler fiquei com tanta vergonha! O titulo do pos era "Sofro como Precious" e eh um dos meus posts mais comentados... Muita gente me dando apoio, dizendo que muita coisa eh vitimismo, que precisamos deixar isso pra la... 

Nao gente!!! Nao precisamos!!! Nao eh tudo vitimismo, na verdade sao todas vitimas, isso sim! Tem gente que fala: "nossa, agora tudo eh racismo"... E sabe, colega, eh porque na verdade TUDO EH RACISMO SIM! 

Alias, dizer que "sofro como Precious" eh uma maneira de fazer chacota de um dos filmes mais tristes que eu ja vi na vida... De uma realidade que esta ai, na nossa cara, acontecendo com TANTAS meninas nesse mundo...

Eu sou uma mulher negra que foi criada como branca. Uma mulher negra que esta num processo doloroso de descobrimento... Doloroso porque eu comeco a perceber todas as violencias que eu sofri todos esses anos calada... Doloroso porque o meu pai, a minha figura negra, nao esta mais aqui pra eu conversar com ele sofre isso... Doloroso porque envolve lidar com questoes e comportamentos muito serios...

E ao mesmo tempo.. Eh um processo importante e necessario... Tem tanta coisa legal que eu ainda preciso ler a descobrir.. Tantos cantores/escritores/artistas negros! Eu conheco uma porrada la dos EUA... Mas como eu disse.. Ali nao eh a realidade do Brasil e eu, mesmo morando fora ha tanto tempo, sou BRASILEIRA... 

"Tenho 25 anos de sonho e de sangue, e de america do Sul
por forca desse destino um tango Argentino me vai bem melhor que o blues" (Belchior)

Ta... Na verdade eu nem gosto de tango... E eu prefiro sim um blues... Mas esta na hora de acrescentar a minha bagagem cultural tudo aquilo de bom que esta escondido por ai...

E prometo que se vierem aqui me perguntar o que eh ser negra na ciencia eu vou ter o maior prazer de contar... Estou eu mesma descobrindo...

Bom final de semana pra voces! 

ahhh... Mae, parte de mim eh sim branca e isso nao vai mudar... Eu so quero agora, conhecer a outra parte que esta faltando... 

|

15 Comments


Olha Lu... nos falamos no gtalk, mas tenho que deixar registrado aqui: Você me fez chorar. É isso meu, é isso...Te acho uma mulher tão admirável, e sinto tanto prazer em ler algo tão bem escrito, tão lúcido e tão verdadeiro.
Aí você vai falar, porra Vivi, você é loira de olho azul, nunca vai saber do que estou falando. Exatamente Lu, e é essa consciência que tenho... dos meus privilégios e do quanto isso tudo é injusto, agressivo, violento e triste.
Precisamos falar disso, precisamos falar o quanto o Brasil é racista... e do quanto isso é uma merda!
Desculpe os palavrões... mas tem hora que só assim!
Te amo mulher!!! Precisava de mais umas duas de você ao meu redor!!!


O assunto é delicado, ainda mais pra quem cresceu entre os brancos sem ser um deles de fato...Como ela disse, a família tinha o poder aquisitivo, uma tal igualdade, que era igual até um certo ponto. Com certeza os meninos a olhavam e diziam...não, ela não. Ela não é branca, ela não é uma de nós.
Ah o assunto dá pano pra manga...o racismo existe sim, em todo lugar e principalmente no Brasil, de forma nua, crua e escancarada.
Aquele seriado "Everybody hates Cris" traz a mesma linha de pensamento e vivência de uma família negra nos EUA, onde um dos filhos frequenta uma escola de brancos. Bjs


Fico feliz com este seu post.
Sempre gostei do que voce escreve aqui mas o seu post falando que era vitimismo e que racismo nao existe achei bem sem noção. Nao estava combinando com o que eu acreditava ser voce sabe?!
Fui criada da mesma forma que voce: Pai negro, mae branca de familia italiana, cercada pela familia da mae (mas tb com muito contato com a pequena familia do pai, classe media, estudava em escola particular e so comecei a ver o racismo depois de adulta.
Que bom que voce enxergou a realidade.
Beijos.J
Jana


todo meu amor pra você, Lu <3


Tenho que concordar que a internet é um ótimo lugar pra levar uns tapas na cara e perceber algumas coisas que vez ou outra deixamos passar. Tento sempre que possível me colocar no lugar do outro, mas às vezes falta informação (por culpa da gente mesmo) para isso de "me colocar no lugar do outro" ser próximo com a realidade, sabe? Falta mais informação, falta mais discussão sobre o que é racismo, sobre como ele afeta quem sofre com isso, falta aceitar que ele existe. textos como o seu são essenciais pra todos nós!


Jana - obrigada pelo comentario! Olha, voce escreveu que "Sempre gostei do que voce escreve aqui mas o seu post falando que era vitimismo e que racismo nao existe achei bem sem noção" - eu NUNCA disse que racismo nao existe, hein? Alias, tem ate aquele meu outro post em que eu discuto muito isso em detrimento da menina que achava que sofria racismo por ser descendente de japoneses. Eu tambem nunca disse que era vitimismo... A unica coisa eh que eu nunca achei que fazia parte desse grupo, porque sempre achei que por nao ter crescido em lugares mais pobres eu tinha "escapado" disso. Foi a minha criacao como branca, como eu disse no texto... A pessoa que me mandou aquele email queria q eu me posicionasse como negra que venceu na vida e eu nunca tinha me visto assim... O texto foi totalmente auto biografico - como esse tambem eh! Eu nunca generalizei isso. As estatisticas estao ai pra mostrar como vivem os negros no Brasil...


certo luana, mas foi o que achei do post e nunca disse q vc disse q nao exista racismo rsrs.
Jana


Muito bacana de sua parte em dividir sua reflexão, seu aprendizado e o seu sentimento com a gente. Eu tenho aprendido tanto nos últimos anos sobre racismo, feminismo, diferenças de classes, assistencialismo e minha maior realização é exatamente sobre o quanto crescemos neste sistema velado onde somos programados a desassociar certas atitudes de um todo, exatamente como o caso que você citou sobre os pais e a fantasia do Aladin, "Eu li cada argumento contra e a favor... E tenho que concordar.. Pegou muito mal! Foi intencao dos pais? LOGICO que nao! Eles sao racistas? Nao, acredito que nao, embora o ato em si tenha sim um racismo velado..."


Que bom que podemos sempre mudar...crescer e (re)descobrir outras partes! feliz pelo seu texto e por você! Gabi


Eu li o post, eu voltei após 1 ano quieta, e sim, eu tava sumidaaaaaaaa, mas é tão bom voltar aqui e ver a minha Luana linda/ branca/negra ou seja lá que cor, pois isso é mero detalhe nesse mar de cultura e sapiência onde eu sempre aprendo algo, ou reflito, ou me emociono, ou dou risada, ou me mobilizo, me situo, me inspiro ,enfim, chegar aqui é certeza de que alguma linha fará diferença no meu dia, alguma palavrinha...Sempre saio daqui feliz, por mais penoso que seja o assunto tratado, vejo opiniões, volto no tempo, penso no assunto e saio da minha zoninha de conforto. Hj só passei aqui pois estava com saudades desse blog e de ti, não ando escrevendo nada além da minha dissertação, rssss, vivo num mundo paralelo agora...tentando heroicamente concluir isso..Bjs minha querida top nerd que eu amo e admiro tanto, teus textos sempre fazem a diferença! Voltarei....


Oi Lu! Muito tempo que não passo por aqui... seu blog estava bloqueado no meu trabalho, sei lá por quê e agora desbloqueou. O Cris me mandou um whats hoje falando... "olha o blog da Luana!" e cá estou eu.

Cara, que delícia ver que algumas pessoas param um pouco para refletir sobre as coisas, se permitem mudar de opinião e amadurecem! Eu queria reler o post para ver se eu comentei nele ou não. Eu lembro que eu e o Cris conversamos sobre ele e tal, mas não lembro se cheguei a comentar... não achei o post.

Sobre o menininho de macaco, penso exatamente como você... Eu li a justificativa do pai e realmente acredito que ele não tenha sido racista com o próprio filho, caso contrário não teria adotado. Mas acho que devemos tomar muito cuidado ao dar munição para as barbaridades que vemos todos os dias por aí. Não é raro um negro ser chamado de macaco de forma pejorativa, então achei a fantasia muito infeliz.

Mas tem alguns assuntos que eu desisti de discutir com as pessoas. A pessoa enxerga o que quer enxergar e raramente conseguimos mudar a opinião alheia. Talvez por isso seja tão bom ver uma mudança tão grande e um mea culpa como esse.

Sempre te achei demais, mas hoje você foi DEMAIS!

Dá uma olhadinha nesse vídeo (se é que você ainda não viu), eu acho perfeito! https://www.facebook.com/nin.mars1/videos/1104786389533508/?pnref=story


Eu acho que a gente cresce come ssa hostória de que racismo não existe no Brasil. Que a discriminação é social. Muita gente ainda tem a cara de pau de dizer "Eu não sou racista, eu ATË tenho amigo negro"... mmmm

Estamos com vc nessa sua nova fase de descobertas!


Bem, eu podia escrever uma dissertação de 30 linhas sobre como o seu post tá maravilhoso, mas vou resumir num LACROU!
Quando li aquele post seu sobre racismo, confesso que fiquei meio decepcionada (mas não comentei nada, porque sou branca, e não me diz respeito falar da vivência de alguém que de fato enfrenta o racismo, e não fica só teorizando). Mas mesmo em outros posts posteriores a esse já dava pra perceber o seu posicionamento mudando.
O racismo é mesmo muito cruel aqui, por ter essa forma velada. Até quem pratica jura de pés juntos que é liberal! Isso só faz com que fique mais difícil enfrentar e acabar com ele. Vai ter sempre alguém pra te dizer "para de mimimi, isso é coisa da sua cabeça!". Não é! Esse post fez meu dia.


Espero que vcs estejam bem com os ocorridos de hoje :-(


Desculpa, mas não acho que TUDO seja racismo, acho inclusive que há muito vitimismo sim, mimimi, como queira chamar. Um bom exemplo disso foi algo que vi em um famoso site dias atrás, pessoas comentando como uma criança loirinha era linda, e era mesmo, uma bonequinha, mas então se via um monte nos comentários dizendo que o povo era racista por achar a menininha bonita. Porque sim, era só o que faltava, agora não se pode mais achar pessoas galegas bonitas, ainda mais uma criança, porque é racismo. Há racismo, há, muito, mas há também vitimismo e hipocrisia. Eu sou branca e já sofri o inferno nas mãos de uma negra racista, ex-sogra, que o diabo a tenha, sem nunca ter feito um pingo de mal a ela. E por aí vai...

Web Analytics

Copyright © 2009 Hunfs All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive.